quinta-feira, 1 de fevereiro de 2007

O Rapaz, o Um-que-não-existe, o Cramulhão, o Ó...

"Nunca converse com estranhos

Ao entardecer de um quente dia de primavera, em Patriarshye Prudy chegaram dois cidadãos. O primeiro deles – de aproximadamente quarenta anos, vestido em um traje insignificante – era de baixa estatura, cabelos escuros, gorducho e careca; levava seu decente chapéu no braço, e seu rosto precisamente barbeado era adornado por óculos de medidas extraordinárias, com armação de chifre. O segundo – um jovem de ombros largos, ruivo, guedelhudo, o quepe xadrez virado para trás – vestia um blusão, calças brancas amarrotadas e sandálias pretas.

O primeiro era ninguém menos que Mikhail Aleksándrovitch Berlioz, redator de uma volumosa revista artística e presidente de uma das maiores associações literárias de Moscou, chamada abreviadamente Massolit; e seu companheiro de caminhada era o poeta Ivan Nikoláevitch Ponyriôv, que escrevia sob o pseudônimo Sem-teto".

Uma torta de palmito pra Lilika e outra pra quem acertar quem é o autor da pérola acima.
;)

Uma dica:



Um rapaz brejeiro, sem dúvida... =P

O tal teve as bolas de escrever uma carta ao camarada Iôssif Vissariônovitch Djugáshvili - vulgo Koba e, mais tarde, Stálin -, falando arrobas de impropérios para o bigodudo. "Puxa vida! E o que aconteceu com ele? Foi fuzilado?!



Mandado para a Sibéria?!



Oh, quem o terá resgatado das mãos de tão sanguinário ditador?!"


(Vejam só, ele era tão bacana que até ajudava esse amiguinho barbudo a resolver um exercício de química orgânica).

Pois bem: nenhuma das anteriores, uma vez que o referido georgiano hirsuto telefonou (!!!) para o rapaz lá da primeira foto oferecendo-lhe um cargo como diretor do teatro estatal de Moscou. A conversa deve ter sido no mínimo curiosa.
=P

Agora, se o título do post se refere à figura central do romance cujo início transcreve-se acima, ao autor do supracitado papiro ou ao moço dos bigodes bem cultivados, cabe ao leitor - havendo um - decidir.

Ah, e mais uma empadinha de palmito para quem descobrir quem traduziu o trechinho do livro!
=D

4 comentários:

Ozzmia disse...

O "legal" é que eu geralmente boio nos seus posts... =P

no meu blog pra ler o absurdo que aconteceu aqui e mcasa! =D

Ozzmia disse...

oops. Vá no meu blog... em casa!

Karina disse...

Achei que o tio estivesse ajudando o bigodón a preencher uma cruzadinha.

Rebs disse...

Quero posts novos, carajo!